quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Voltar a ser criança

Outro dia numa aula de ioga, minha professora chegou e nos comunicou que teríamos uma aula diferente daquelas que costumávamos ter. Em comemoração a semana da criança, iríamos ter uma aula lúdica que nos remeteria à nossa infância. De início senti que todas as alunas ficaram um pouco apreensivas afinal, fugia totalmente a rotina de nossas aulas. Permeando os ásanas comuns à ioga, brincamos de pular amarelinha, de corre cotia e de outras brincadeiras que até já se encontravam perdidas em nossas lembranças. No final da aula, todas estavam suadas, relaxadas e...felizes! Isso mesmo! Felizes feito criança. Ao final da aula, fizemos uns minutos de relaxamento e meditação e a professora nos falou da importância de se manter essa criança dentro de nós viva. E é uma grande verdade. Ao "amadurecermos" deixamos de lado a parte mais bonita de nós mesmo que é a espontaneidade, a simplicidade e a alegria de viver. Ao tornarmos "adultos", deixamos para trás aquela vontade nata de aprender a ler o mundo. Ingressamos numa viagem de compromissos, horários, responsabilidades e a busca por uma "estabilidade" que na realidade nos impulsiona para a depressão, para a frustração e por fim, muitos não aguentando essa carga tão pesada, abandonam inclusive a vontade de viver.
Na realidade, ao nos tornarmos "gente grande", distorcemos os valores das coisas e pior ainda, relegamos à último plano o fato de simplesmente sermos felizes. Até mesmo a felicidade encaramos como algo inatingível e passamos a buscá-la em coisas perecíveis e materiais que até poderão nos proporcionar alegria, êxtase no primeiro momento para em seguida, voltarmos aquele estado de vazio, de melancolia e busca de algo que não sabemos bem o que. Quando nossos filhos, sobrinhos e demais crianças que convivem conosco nos convidam para brincar, sempre inventamos uma desculpa dizendo que estamos sempre muito ocupados, cheios de tarefas ou, simplesmente dizemos que não somos mais crianças e que brincar com eles chega a ser ridículo. Não tendo filhos, sempre que posso, ao contato com meus sobrinhos, deixo de lado essa pessoa sisuda que muitas vezes sou e volto a ser uma criança. Brinco de bonecas, jogo futebol, pulo corda, brinco de esconde-esconde, faço teatrinho e tantas outras coisas que divertem as crianças e me trás uma gama de sensações e sentimentos que há muito havia esquecido. E isso me faz tão bem que ao irem embora já me sinto com saudade da alegria deles.
Voltando a aula de ioga, ao término da meditação, a professora nos falou para deixarmos nossa mente vagar livre e ir de encontro a sensações, imagens ou qualquer coisa de nossa infância. Qual não foi minha surpresa ao constatar de repente que uma música tocava em minha mente. Algo tão lá de trás, de minha meninice que já nem lembrava mais. Contudo, veio de uma forma tão nítida, tão clara que comecei a sorrir e fiquei com vontade de me levantar e sair cantando e dançando. Vocês que são da minha geração, sem lembram daquela música que era tema do programa infantil Globo Cor especial? Uau!!! Voltei no tempo mesmo! Eu adorava esse programa e sua música então, vivia cantando junto. Lembrem comigo:
Não existe nada mais antigo
Do que cowboy que dá três tiros de uma vez
A avó da gente deve ter muitas saudades
Do zing-pow!, do cinto de inutilidades
No nosso mundo tudo é novo e colorido
Não tem lugar pra essa gente que já era
Morcego velho, bang-bang de mentira
Vocês já eram, o nosso papo é alegria!
Não é demais? E pra alegrar ainda mais, postei esse vídeo que achei com a música. Para quem é de minha geração, boas lembranças! Para os mais novos, divirtam e conheçam o que nos entretinha em nossa infância. E pessoal: não enterrem nunca essa criança que existe em você. Quando a vida estiver lhe oprimindo, traga à tona essa criança e fique leve, fique feliz e recarregue suas baterias para um novo dia. Feliz Dia das Crianças para todos nós!

2 comentários:

RICARDO V. PEDROSO disse...

MANINHA, NOSSAS CRIANÇAS ESTÃO ENVELHECENDO EM PLENA INFANCIA.
SÓ DEUS SABE O QUANTO NOS DIVERTIMOS, APRONTAMOS, SONHAMOS E VIVEMOS INTENSAMENTE A NOSSA INFÂNCIA.TINHAMOS TODAS AS INFLUÊNCIAS PARA SERMOS ADULTOS PROBLEMÁTICOS, TRISTES E NO ENTANTO OLHE NÓIS AQUÍ!
BRINCANDO COM A VIDA, RINDO COM A REALIDADE E SONHANDO IGUAL FAZIAMOS EM NOSSA INFÂNCIA.
FELIZ DIA DAQUELES QUE SABEM O QUÃO IMPORTANTE É SER CRIANÇA; PARA OS QUE NÃO SABEM LOGO LOGO CHEGARÁ O DIA DE FINADOS...
UM SUPER BEIJO EM SEU CORAÇÃO
TEU IRMÃO
RICARDO

Sonhos & melodias disse...

Oi mano,
Que bom te ver por aqui! È isso mesmo, manter nossa criança sempre viva é a melhor maneira de não envelhecermos. E, com você, tenho pena dessa infância que passa pela vida sem ser verdadeiramente criança. Outros tempos...
Beijão