quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Relembrar é viver (já dizia o poeta)

Segundo a astrologia, o signo de câncer é extremamente saudosista e adora ser o guardião do passado. Seja de sua vida pessoal, de sua família e por aí vai. Quando mais nova achava isso uma imensa babaquice mas com o correr dos anos (ou dos verões como já dizia minha avó), percebo que realmente sou exatamente assim. É claro que não ao extremo no sentido de só viver do passado e achar que as coisas só eram boas lá atrás. Nada disso contudo, adoro resgatar da memória coisas legais que me aconteceram, situações inusitadas, engraçadas e formar um painel de minha vida. Porisso, quando me deparei com esse livro, esqueci da vida. Comecei a folhear e a voltar no tempo relembrando coisas que fizeram parte de meu passado e como é bom relembrar. Chamei o pessoal que trabalha comigo e fui mostrando página a página e todos também foram embarcando nessa deliciosa viagem no tempo. Um livro autobiográfico que se enquadra na vida de qualquer pessoa pois tem situações que são universais e que todos de uma maneira ou de outra já passaram. Lembranças de tios, tias, avós, vizinhos. Situações do cotidiano que costuma ser muito comum a todas as famílias e objetos que fizeram parte de nossas vidas e que passam a ter uma importância fundamental depois de alguns anos. Estou falando do livro O Mundo Acabou! , de Alberto Villas, da Editora Globo. Essa é minha dica do dia.

3 comentários:

A Palavra Mágica disse...

Roseli,

Que lindo vídeo!
Ontem eu estava cantando: "Liberdade é uma calça velha, azul e desbotada".
Meu filho de treze anos perguntou que música era aquela. Tem tudo a ver com o seu post. Aliás, no meu blog também coloquei Guilherme Arantes, só que foi Êxtase.
Vendo seu vídeo me lembrei da latinha do Neocid. Minha irmã colocou na minha cabeça para matar piolho. Aprendi a datilografar numa Remington. Faz tempo!
"Deixemos de coisas, cuidemos da vida"

Beijos!
Alcides

Sonhos & melodias disse...

Isso denota (não idade mas sim vivência). Vivia cantando essa música naquela época. Também tive uma Remington, uau!!!!
Bjs

Elaine disse...

Olá1
Sabe do que eu mais senti saudade vendo o vídeo? do papel de seda da maçã!
Era tão chique, o cheiro ficava impregnado no papel e como maçã lá na minha infância era raridade eu guardava até o papel perder o cheirinho de maçã argentina tão gostosa!
E ao som de Meu mundo e nada mais fica ainda melhor!
Aliás é a música que eu cito em meu próximo post.