terça-feira, 4 de agosto de 2009

Meu coração está suspenso (de luto)

Andei sumida daqui durante o mês de julho devido as férias, no entanto, também andei muito ocupada pois retornei ao trabalho a semana passada e minha mesa estava um caos de tanto serviço. Mas não reclamo não. Adoro o que faço e já estava até sentindo saudades dessa correria toda. Também estava um pouco desmotivada para escrever pois estava triste devido a uma perda de um ente familiar querido (mais um). Caramba! Vai chegando um ponto em nossas vidas em que você passa a somar as perdas. Perda de um grande amor, perda de um emprego, perda de uma oportunidade, perda de um amigo, perda de familiares...e por ai vai nossas perdas diárias.

Mais do que espírita, sou espiritualista e encaro o mundo de uma forma toda especial. Se é verdade ou não, se existe vida após a morte ou não, não compete a mim nem a ninguém dizer pois acredito que não exista alguém na face da terra que saiba a resposta . Acredito sempre que as pessoas fazem suas escolhas na vida e seguem o que acreditam. Não sou eu que vou ditar o que é certo nem o que é errado na vida de cada um. Mal dou conta da minha vida! Quantas vezes me pego com inúmeras dúvidas sobre que caminho seguir, que decisão tomar, com quem devo ficar! Apenas tenho uma intuição muito latente do que é certo ou errado para mim. E procuro na medida do possível, seguir essas diretrizes e procurar viver de forma a causar o mínimo de estrago em minha vida e na dos outros. A morte desse parente me causou uma tristeza profunda pois já era uma tragédia anunciada de longa data devido a vida que ele escolheu para sí. Mas, mais uma vez, não serei aqui a juíza que irá condená-lo ao mármore do inferno até mesmo porque, já dizia nosso mestre Jesus: Atire a primeira pedra quem não tiver nenhum pecado. Como tenho plena consciência dos meus, calo-me diante dos fatos. De qualquer forma, ele foi sempre um ente querido para mim pois trazia em sua essência, uma pureza de alma, uma meiguice e um carinho tão grande e genuíno por mim e minha família, que sua partida deixa um vazio em nossos corações. O jeito é chorar na medida certa, orar de forma intensa e seguir adiante pois afinal, viver é isso: a somatória entre perdas e ganhos, alegrias e tristezas.

Um comentário:

Daniel Savio disse...

Meus pêsames pelo teu ente querido, mas como você sabe, ele só começo apenas um novo estágia da jornada dele...

Fique com Deus, menina Roseli.
Um abraço.