terça-feira, 18 de agosto de 2009

Poesia para adoçar o dia

Ainda falando sobre amores e paixões, deu-me uma vontade louca de postar poesias. Como não tenho o dom de escrevê-las, procuro entre tantos poetas talentosos, coisas que me "batam" de imediato com meus sentimentos. Poesia não é coisa de fácil digestão não! Ainda mais que nós, brasileiros, não temos por cultura o conhecimento aprofundado durante o período escolar desse gênero tão lindo. Quando estudei (e olha que tive excelentes professores de literatura), quase não tive nada sobre poesia. Tudo era passado como se os poemas fossem uma arte menor. Tanto que durante toda minha adolescência e início de minha fase adulta, não dava a mínima para poesias. Somente quando passei a trabalhar em biblioteca e fazendo pesquisas e lendo mais a respeito dos escritores é que passei a entender e a gostar de poemas. E a descoberta foi muito boa! Hoje tenho os meus poetas preferidos e decidi postar aqui um poema de um desses poetas maravilhosos. Fui até as estantes da biblioteca onde trabalho a procura de algo que me agradasse e, logo de imediato, saltou o livro Quando fui outro, de Fernando Pessoa. Sempre me questiono sobre o porque dos livros se atirarem para mim, como que se oferecendo. Já falei várias vezes que acredito seriamente que não somos nós que escolhemos qual livro queremos ler e sim, são eles que nos escolhem. Abri esse livro na página 145 com o poema cujo título é A Outra. Sugestivo não? Li o poema e simplesmente amei pois ainda não conhecia esse poema de Fernando Pessoa. Seguindo adiante, abri novamente de forma aleatória e li Nunca amamos alguém. Nem preciso dizer o quanto me emocionei ao terminar esse texto. Caramba! Que sensibilidade que esse poeta tinha! Mas, chega de divagações e vamos ao que interessa: Gostei tanto dos dois textos que resolvi postar ambos. O primeiro poema que li e gostei foi :

A Outra

Amamos sempre no que temos
O que não temos quando amamos.
O barco pára, largo os remos
E, um ao outro, as mãos nos damos.
A quem dou as mãos?À Outra.

Teus beijos são de mel de boca,
Sãos que sempre pensei dar,
E agora a minha boca toca
A boca que eu sonhei beijar.
De quem á a boca?Da Outra.

Os remos já caíram na água,
O barco faz o que a água quer.
Meus braços vingam minha mágoa
No abraço que enfim podem ter.
Quem abraço?A Outra?

Bem sei, és bela, és quem desejo…
Não deixa a vida que eu deseje
Mais que o que pode ser teu beijo
E poder ser eu que te beije.
Beijo, e em quem penso?Na Outra.

Os remos vão perdidos já,
O barco vai não sei para onde.
Que fresco o teu sorriso está,
Ah, meu amor, e o que ele esconde!
Que é do sorriso Da Outra?

Ah, talvez, mortos ambos nós,
Num outro rio sem lugar
Em outro barco outra vez sós
Poderemos recomeçar,
Que talvez sejas A Outra.

Mas não, nem onde essa paisagem
É sob eterna luz eterna
Te acharei mais alguém na viagem
Que amei com ansiedade terna
Por ser parecida
Com a Outra.

Ah, por ora, idos remo e rumo,
Dá-me as mãos, a boca, o teu ser.
Façamos desta hora um resumo
Do que não poderemos ter.
Nesta hora, a única, Sê a Outra!

8 comentários:

Daniel Savio disse...

O que eu acho interessante que apesar de achar que a "Outra" seria uma amante, ela também seria outra metade nossa...

Só depende do conceitos de cada um.

Fique com Deus, menina Roseli.
Um abraço.

Carmelita T.Tomasoni : disse...

"Sentir?
Sinta quem lê"...
Grande Pessoa!

Luma disse...

Roseli, também acredito que somos escolhidos pelos livros e alguns se tornam companheiros inseparáveis, não é mesmo?
Uma pena que more em São Paulo e não vai poder participar da Oficina de Poesia que a Christiana Nóvoa vai administrar em Setembro no Rio. Mas seria legal que você postasse para os seus leitores do Rio. Que tal? Eu postei no "Luz" em uma postagem anterior a atual. Se interessar, dá uma passadinha lá!!
Boa semana! Beijus

A Palavra Mágica disse...

Roseli,

Eu não considero o Fernando Pessoa um poeta, penso que é um filósofo disfarçado.

Tem muita coisa dele que ainda preciso conhecer. Obrigado por esse poema que eu também não conhecia.

Beijos!
Alcides

Sonhos & melodias disse...

Oi Daniel, sabe que tive essa mesma impressão? Obrigada por mais essa visita e continue voltando.
Abraço

Sonhos & melodias disse...

Oi Carmelita! Prazer em te ver por aqui! Volte sempre.
Bjs

Sonhos & melodias disse...

Oi Luma,
Que pena mesmo! Vou dar essa força em meu blog ok?
Bjs e volte sempre

Sonhos & melodias disse...

Oi Alcides,
Você disse bem. Mas um filósofo com alma de poeta ou será o contrário? Estou descobrindo ele aos poucos. Volte sempre.
Bjs