segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Por que o ser humano é assim?

Não pretendia comentar nada sobre o ocorrido mas, na semana passada coincidentemente (ou não), três dos grupos a que pertenço tiveram situações semelhantes: divergências em opiniões que se descambaram para troca de farpas, passando por comentários irônicos chegando às ofensas. Daí, toda essa movimentação e dificuldade entre as pessoas envolvidas me levaram a refletir sobre a dificuldade que o ser humano tem em lidar com opiniões diferentes, modo de ser diferente, religião diferente, pensamentos políticos diferentes...enfim, como se é difícil conviver com a diferença! Veja bem, não sou nenhuma criatura elevada para estar aqui falando dos outros. No entanto, venho de uma família onde sempre foi cultuado e desenvolvido a tolerância entre todos. Desde que me entendo por gente que ouço no seio familiar sobre a importância de se saber conviver com os outros sabendo respeitar as pessoas e isso sempre implicou respeitar ideias, crenças, conduta. Mesmo que isso vá contra meus princípios, nem por isso devo sair atirando, julgando e condenando aqueles que não pensam como eu.
Há anos atrás, conheci uma garota que logo de cara não gostei de sua maneira de se portar, de falar, de se vestir. Trocando em miúdos: definitivamente não tinha ido com sua fachada!
No entanto, calhou de além de estudarmos na mesma classe, fomos trabalhar no mesmo local iniciando no mesmo dia. Nossa chefe chegou para nós e falou: como são novas aqui, almoçarão no mesmo horário e sairão também no mesmo horário assim poderão fazer companhia uma a outra.
Naquele dia saí meio estremecida pois ia ter que "aturar" aquela lá se quisesse manter o emprego. Com a convivência, fui vendo que ela era uma pessoa (independente de suas diferenças) adorável, agradável e hoje, somos grandes amigas. Outro dia conversando com ela , lembramos dessa nossa diferença no início e daí ela mesma concluiu: Nossa amizade deu certo porque aprendemos a nos respeitar e a enxergar o que de melhor tínhamos.
E essa é a grande sacada para todos: o respeito acima de tudo. Além do olhar mais aprofundado em tudo e em todos. Procuro sempre olhar o outro não como meu inimigo mas sim, como uma pessoa igual a mim. Ou seja, cheia de defeitos mas também com uma gama incrível de virtudes e qualidades. E é nessas qualidades que procuro me fixar e procurar algo que me enriqueça.
É claro que nem sempre é fácil. As vezes me pego olhando alguém e já levantando ideias pré-concebidas sem nem ao menos conhecê-la. Mas imediatamente trato de "puxar minhas orelhas" e lembrar que não é por aí que devo proceder. Tenho que dar chance de conhecer pelo menos. E se a pessoa em questão realmente não me for agradável, simplesmente me afasto sem jamais esboçar animosidade. Afinal, o que não desejo pra mim, também não desejo ao próximo. Tenho cá com meus botões que o dia em que todos aprenderem o dom da tolerância e do respeito, a humanidade dará um pulo gigante na sua evolução. Enquanto isso não acontece...só posso lamentar.

Nenhum comentário: