quarta-feira, 28 de abril de 2010

Andy Warhol é muito mais que o belo rosto de Marilyn


Sábado fiz um programa que já estava a fim há um tempinho só que a correria sempre me impedia de realizá-lo. Finquei o pé e decidi ir com minha irmã que faz Arte-Educação na exposição sobre Andy Warhol - Mr. América na Estação Pinacoteca. Como sempre gostei dos trabalhos e da postura desse artista plástico, minha vontade era muito grande de poder ver suas obras nessa exposição. Cheguei lá com a estação lotada. Muitas pessoas tão ansiosas quanto eu na fila aguardando o momento de entrar e conferir de perto. Gosto muito de observar as pessoas quando vou a certos locais e o que vi me agradou muito. Famílias inteiras, grupo de jovens descolados, intelectuais enfim, todas as tribos pareciam estar reunidas por lá. O que mais me chamou a atenção, foi a faceta crítica e política de Andy Warhol. As frases de efeito maravilhosas espalhadas por todo o local, a seleção de fotos e os comentários de Andy sobre o assassinato de Kennedy são impagáveis. A abordagem da violência racial é outro momento reflexivo, A obsessão pela morte, outro tema abordado de forma que ganha pelo visual chocante das cores que retratam muito bem um assunto que incomoda mas que está sempre presente em nossas vidas. A homossexualidade também aparece em seus trabalhos e deixando o colorido de lado, podemos compreender que suas ideias iam muito além das aparências. Por um lado, saí da exposição satisfeita por conhecer melhor esse grande ícone da Pop-Art. Perceber que ele não foi um mero "Porra-Loca" das décadas 60/70 mas, um grande pensador e crítico social de sua época. Só por isso já me valeu o passeio. No entanto, apesar de ser considerada a maior exposição já realizada do artista no Brasil, confesso que saí com um gostinho rançoso da mostra. Não sei porque mas esperava uma exposição maior, mais bem trabalhada, digna de um Andy Warhol. Não sei dizer ao certo o que senti mas minha irmã também saiu com a mesma sensação. Mas, de qualquer forma, vale a pena conferir essa exposição para conhecer melhor sua obra, seu pensamento, sua época. Válido principalmente para as gerações que vieram depois e que não tiveram contato com a sua arte.



Andy Warhol, Mr. América

Estação Pinacoteca do Estado de São Paulo

Endereço: Largo General Osório, 66 - Centro - SP

Fone: 3335-4990

De 3 a 6 reais (sábados grátis)

3 comentários:

Celso Ramos disse...

É me parece que a Arte pregou uma peça em vocês....aquilo que ficou do artísta..ficou e faz com que agente pense... mas essa sensação de vocês me parece originar-se de uma alta espectativa! Lembrem-se que o conceito de gênio que ainda nos assombra desde o romantísmo era rejeitado pelo próprio Andy!! Ele queria era subverter os códigos transformar o lixo em arte ou melhor trazer a tona aquilo que realmente comunicava (os anúncios, rótulos, quadrinhos.....) Depois do séc XX arte é como resquício nada é permanente.(isso para alguns é ssustador)

Sonhos & melodias disse...

Ótima explicação Celso! Gostei! Obrigada pela visita e volte sempre.
Bjs

Lunna disse...

Sempre que vejo o trabalho de Andy fico com a certeza de que nos falta arte hoje em dia. Porque os artistas hoje em dia estão querendo se destacar muito mais que a arte. É como se o objeto principal ficasse em segundo plano. O individuo hoje é mais importante e isso me espanta. Sei lá...
Mas é bom ver pessoas buscando por esse universo, aqui em São Paulo olhar para a arte ainda existe, mas até quando? Sempre me pergunto porque infelizmente as pessoas estão se focando em si mesmas cada vez mais. aff
Beijos