terça-feira, 13 de setembro de 2011

Amar - um tema inesgotável

Não costumo ler livros do gênero autoajuda. Não que seja um preconceito meu mas sim, uma questão de gosto pois em se tratando de leitura, aprecio aqueles que me surpreendem. E, verdade seja dita, a maioria dos livros que assim se intitulam são pra lá de previsíveis. No entanto, terminei de ler recentemente um livro que me surpreendeu pela criatividade da história e por tratar de relacionamentos de uma forma muito bonita e poética.
Escrita por dois especialistas em terapias de casais, fazem um verdadeiro tratado das relações humanas que envolvem casais. E esse tema é algo universal pois todos os conflitos numa relação ocorrem aqui entre nós brasileiros, lá nos países europeus, no Alasca ou em qualquer outra parte do planeta. Muda-se a língua, os costumes mas o que envolve sentimentos numa relação é igual em toda parte. E essa história me fez parar diversas vezes entre um trecho e outro e refletir, pesar o que foi dito, filtrar e isso me fez um bem danado afinal, quem não deseja melhorar suas relações não é mesmo? Até anotar frases num caderno comecei a fazer pois senti necessidade de guardá-las comigo para repensá-las futuramente.
Amar de olhos abertos. Só esse título já me chamou a atenção e quando li na orelha do livro a seguinte frase: "Apaixonar-se é amar as semelhanças, e amar é se apaixonar pelas diferenças". Uau!!! Isso me fisgou o interesse em ler todo o resto. Ao término da história fiquei com uma sensação muito boa dentro de mim e passei a olhar o outro, no caso, o parceiro com olhos mais tolerantes. Por conta dessa minha experiência com a leitura desse livro, deixo aqui como sugestão. Para todos que gostam de ler sobre relações, para aqueles que curtem pensamentos filosóficos e psicanalíticos ou que simplesmente se amarram numa história bem contada.

Sinopse:

Roberto é um homem solteiro, eternamente insatisfeito com suas relações amorosas. Para ele, a história é sempre a mesma: conhece uma mulher, eles se apaixonam, começam a namorar, mas, após um tempo, surgem as diferenças e o encanto acaba.
Até que, por acaso ou destino, um estranho erro do seu provedor faz com que ele comece a receber e-mails endereçados a um tal de Fredy. A princípio Roberto os apaga. Porém, à medida que outras mensagens vão chegando, a curiosidade fala mais alto e ele abre uma delas. Quem a assina é Laura, uma psicóloga que está escrevendo com Fredy um livro sobre terapia de casais.
Mesmo não gostando da ideia de invadir a privacidade de outra pessoa, Roberto acha cada vez mais difícil resistir à tentação de continuar lendo os e-mails de Laura, pois suas teorias se mostram muito úteis para sua vida.
Amar de olhos abertos. Jorge Bucay e Silvia Salinas. Editora Sextante

5 comentários:

Luciano A.Santos disse...

Olá Roseli,

Eu também tenho minhas reservas com livros de auto-ajuda, não acredito em sua "eficácia", mas, se alguém consegue tirar proveito e tornar sua vida melhor lendo-os, então acho válido. Vi que está lendo André Vianco, conte depois o que achou ;) pois ainda não li nada dele.

Grande abraço.

cervejaerua disse...

Querida Roseli

Por gentielza, quebre o feitiço ... e volte a escrever mesmo ... coloque mais nós as suas histórias...
Beijos saudosos

Roseli disse...

Oi Luciano,
Bom te receber por aqui. Quanto ao André Vianco, sou fã de dele pois já li quase tudo. Estou gostando desse livro mas o meu preferido ainda é o Senhor da Chuva e os Sete. Demais!
Bjs

Roseli disse...

Plíniooooo!!! Queridão! Que bom vê-lo por aqui amigo! Saudade de nossos papos literários e outros nem tanto. Obrigada pela dica. Vou tentar seguí-la, rsrs
Bjs

Aline Viana disse...

Roseli,

Realmente gostei da sua sugestão, vou procurar sim!
Também não curto auto-ajuda, mas já li uns dois ou três nesses anos de estrada que até que valem pelo aspecto da curiosidade. Depois eu conto no blog e você me diz o que acha.

Ah, também vou seguir seu blog!É muito bom! Nem sabia que vc tinha esse - você tem que investir em divulgação, rsrsrs

Beijos,
Aline