quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Reflexão pós feriado

Voltamos de um feriado mais cansados do que quando saímos. É impressionante como a sensação de cansaço toma conta ao voltarmos para a rotina de trabalho. E olha que gosto demais do que faço mas a cada dia, sinto-me mais esgotada. Xiiiiii!!! Será os verões passando à jato? Pode ser. mas tenho cá pra mim, que o que mais cansa na vida contemporânea, é o bombardeio contínuo de informações que recebemos diariamente. E o pior, tais informações na sua grande maioria, são inúteis! Não me servem para absolutamente nada! Logo, me canso a toa! Céus! Preciso mudar minha rotina urgentemente caso contrário, envelhecerei antes do tempo e ainda por cima comprometo meus olhos, meu cérebro e minha paz de espírito. Fecho essas minhas reflexões lembrando da tranquilidade de meus avós. Vida dura na lida, mas mansa e relaxada no seio de sua casa sem TV, sem Internet, sem jornais que escorrem sangue. Só tinham para sí o bom e velho bate-papo, muitas risadas e uma ótima noite de sono...
E aí Alice, acordei! Porque sendo uma cria da modernidade, não saberia viver como meus avós. O que seria de mim sem esse quadradinho luminoso que me traz tantas alegrias? Não tem jeito mesmo. O negócio é cada um viver seu tempo sem achar que o passado foi melhor que o presente...Olha só! Acabei me lembrando do filme Meia-noite em Paris, de Woody Allen que aborda justamente essa questão: a gente sempre achar que outra época foi melhor que a nossa. É isso gente: não tem época melhor que a que vivemos afinal, viver ainda é o melhor da história. O resto, é fato registrado.

Um comentário:

cervejaerua disse...

Querida!!
O melhor tempo é o aqui e o agora...

Beijos saudosos