segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Pedro Mariano - show turnê 8


Sábado chegou com um gosto de alegria, expectativa e excitação. Após um dia repleto de atividades e cada uma num extremo da cidade, finalmente consegui me aprontar e seguir para o Citibank Hall. Já me encontrava aflita pois o trânsito - só pra variar - estava um nó só. E faltava vinte minutos pra começar o show. Coração batendo descompassado na garganta. Não posso perder! Não posso perder! Não posso perder!
Consegui chegar faltando menos de dez minutos e já encontrei o pessoal todo na maior euforia. Isso é muito legal. Contagia e desestressa da correria. Rever pessoas queridas que há muito não via, conhecer pessoalmente outras que somente por redes sociais conhecia. A noite prometia.
Pra variar, mas já era de se esperar, o show atrasou um pouco e isso deu chance de mesmo lá dentro encontrar outras pessoas que há muito não via. E o papo rolou. Até anunciarem o começo do show. O burburinho geral era grande e, ao primeiro acorde musical, ainda com as cortinas abaixadas, fez-se um súbito silêncio. A cortina subiu e ele começou a cantar. A música Simples, de Jair Oliveira. Interpretação ímpar. E junto de sua voz que está cada dia mais cristalina, iniciei uma viagem que adoro fazer. Música é uma droga que injeta pelo ouvido, se espalha por toda corrente sanguínea, chega ao coração e cérebro e te descarrega uma endorfina que te leva às alturas. A partir daí, não vi mais nada a não ser ele, no palco com seus músicos talentosíssimos e sua voz que tomou conta de todo o ambiente. Houve momentos de grande emoção de sua parte. principalmente quando falou sobre sua relação com a casa que em breve fechará suas portas de vez. Confesso que também me emocionei pois também tenho uma carinho enorme por esse espaço musical.
Outro momento que me pegou foi quando cantou Pra cada coisa, nova música de Jair Oliveira e, talvez dominado por forte emoção, esqueceu a letra. Mas conseguiu seguir adiante e nos contemplou com uma interpretação forte, vibrante e visceral. Arrasou! Fiquei com os olhos cheios d'água. Outro momento que me trouxe forte emoção também foi quando sentou-se perto de Marcelo Elias e, ao som do piano explendidamente tocado, cantou Acaso. Composição belíssima de Abel Silva/Ivan Lins que gravou com seu pai no projeto Piano & Voz, de 2003. Arrasou. Pedro Mariano na interpretação, Marcelo Elias no piano. Haja coração! E então veio outras canções. No entanto, mesmo feliz em vê-lo no palco que é onde melhor se expressa, saí com um gosto de mais do mesmo. Veja bem: adoro suas músicas, tenho todos os seus CDs, mas talvez, justamente por gostar demais dele, esperava algo diferente, mais ousado, que me surpreendesse. Talvez isso se dê por já ter assistido a tantos shows seu. Mas, de qualquer forma, é uma ótima pedida para quem deseja assistir a um show com boas interpretações e com músicos da maior qualidade.
E continuo até agora com a música Acaso tocando em minha mente.

Um comentário:

Neli disse...

Sério que acho mais do mesmo! Putz! Pra mim foi um dos melhores shows, incrivel, pois em outubro achei o melhor e agora dia 04 melhor ainda. Não falo em questão musical, que ele não inovou, mas também não sou do tipo que fico esperando inovação não.Mas, em termos de interpretação, carisma no palco ele se superou, mas cada um tem uma impressão né? Fora que não discutimos a puta voz do rapaz!
bjs
Neli