quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Resgatando um talento esquecido

'Vai, abandona a morte em vida em que hoje estas
Ao lugar onde essa angustia se desfaz
E o veneno e a solidão mudam de cor
Vai indo amor
Vai recupera a paz perdida e as ilusões,
não espera vir a vida às tuas mãos
Faz em fera a flor ferida e vai lutar
Pro amor voltar
Vai faz de um corpo de mulher estrada e sol
Te faz aman...te Faz meu peito errante
Acreditar que amanheceu
Vai corpo inteiro mergulhar no teu amor
Nesse momen...to vai ser teu momento
O mundo inteiro vai ser teu, teu, teu
'


No final de semana, fazendo a faxina dos CDs, tive um adorável encontro com o passado. Passado esse, diga-se de passagem, que não vivi. Pelo menos não intensamente como os adultos. Afinal, quando esse cantor fez sucesso, ainda era criança e nem me dava conta do mundo que me rodeava.
Como minha casa sempre foi muito musical pois meus pais sempre gostaram de música, tive a grata formação musical com boas músicas. Lá em casa sempre circularam boleros, cantores da MPB de primeiro quilate como Nelson Gonçalves, Angela Maria, Noel Rosa, Pixinguinha, Elisete Cardoso, Elis Regina. E, na epoca em que era criança, em meados de 68/76, ouvia muito os cantores que estouravam nas rádios: Roberto Carlos, aliás, assistia sempre os programas da tarde com ele e os demais cantores da Jovem Guarda. Era apaixonada pelo belo príncipe Ronnie Von! Mas, tem um cantor/compositor que ouvia muito e que, mesmo não entendendo muito o auê em torno dele, amava ouvir suas canções. E amava sua voz! Vim a saber sobre ele bem mais tarde, quando já adulta. Sua vida, suas demais canções, sua perseguição e exílio no exterior durante a ditadura militar. Estão me acompanhando o raciocínio no texto? Leram a frase primeira que inicia? Reconhece de quem é? Não? Você não é dessa epoca? Sem problemas.
Fiz toda essa vasta introdução para falar de um compositor e cantor que amo: Taiguara. Hoje em dia, quando falo sobre ele, muitas pessoas fazem cara de interrogação pois nunca ouviram falar. Natural já que ele foi uma das grandes vítimas da ditadura militar nos anos 60/70. Como muitos, foi relegado ao esquecimento. Mas seu talento, sua voz, sua sensibilidade se mantiveram intactos para muitos que o conheceram. Ao limpar o CD que tenho com seus grandes sucessos, coloquei para rodar e voltei no tempo ouvindo suas belas canções de amor. Ao colocar o outro CD que tenho, já pude vislumbrar um outro Taiguara. Passei a conhecer o cantor dos grandes festivais e seu lado mais politizado. O que o levou a perseguição da ditadura militar. Muito interessante vasculhar e procurar saber como as coisas funcionavam realmente naquele período negro em que o país mergulhou. E agora a pouco, voltando do almoço e entrando no Face, me deparei com uma postagem do escritor Ricardo Ramos Filho justamente falando de Taiguara. Me bateu um saudosismo bom e uma vontade absurda de falar dele. Não deu outra, fui até o Youtube, pesquisei sobre ele e veio vários vídeos com suas canções. Por isso, me deu uma vontade louca em compartilhar com vocês por aqui um vídeo e falar um pouco desse talentoso compositor que partiu tão jovem. É minha forma de homenageá-lo e resgatar um pouco da boa música brasileira que anda tão em falta nas rádios.



Nenhum comentário: