quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Vítima (Again!) - Infortúnio!

(Imagem retirada do blog Tamos com raiva)

Aconteceu mais uma vez! A sensação que temos quando somos as vítimas dessa ação é muito ruim!
Ontem, pela manhã, chego à minha sala e qual não é minha surpresa ao deparar com meu gaveteiro praticamente arrombado!
A primeira gaveta estava praticamente aberta mas ainda com o miolo arranhado e o puxador quebrado. Fiquei com o gosto ácido da revolta tomando conta de minha boca e depois de meu estômago.Parecia até que tinha acabado de ser nocauteada por Mike Tyson. Abri a gaveta para verificar se faltava algo e, pasmem! A única coisa que dei falta foi de um creme para mãos que ficou somente a embalagem de papel. Agora vem a indignação e confusão maior do acontecido: o creme estava praticamente acabando. Por que ele sumiu? Na gaveta havia também uma caixa de bombons belga que ganhei de uma mãe de aluno. Não sumiu um único bombom! Ou a pessoa não gosta de chocolate ou...sei lá mais o que pensar! Agora, independente do que tenha sumido seja um simples creme quase acabado, seja um bombom belga ou uma soma em dinheiro, minha indignação é com relação ao ato em sí. Como uma pessoa pode ter a coragem, ou devo dizer, a cara de pau, de arrombar um gaveteiro que não lhe pertence e mexer em coisas alheias após o término do expediente? Eu não pego nem um grampo ou clips sem pedir! E, no entanto vejo pessoas que se apoderam do que não lhes pertence na boa! Sem peso na consciência!
Quando disse no início do texto que aconteceu mais uma vez, é porque já fui vítima de roubos desse tipo há alguns anos atrás. Aqui mesmo em meu departamento. Mexiam em minha carteira tranquilamente. Comecei a dar falta de dois reais, cinco reais, dez reais...
Por um tempo cheguei a pensar que eu gastava e nem tomava conhecimento pois sou um pouco desligada mesmo dessas coisas. Mas, com o tempo isso começou a me incomodar e passei a ficar atenta. Passado mais uns meses, eis que some de minha carteira uma quantia maior, significativa.  Quase trezentos reais se evaporaram da carteira como num passe de mágica! Esse episódio foi o mais grave mas já havia sumido da geladeira iogurtes, azeite, sucos, e até mesmo um tempero para saladas que tinha comprado e nem cheguei a usar pois naquela semana decidi comer fora todos os dias. Na semana seguinte quando trouxe comida de casa e fui pegar o tempero, qual não foi minha surpresa ao constatar que ele estava quase acabando! Isso, sem falar da vez em que sumiu de meu armário uma sandália. Enfim pessoal, não é fácil conviver com a falta de escrúpulos e vergonha alheia! Em outra empresa que trabalhei, também fui vítima de uma forma bem engraçada (digo isso hoje porque na epoca fiquei puta da vida!).
Toda vez que ia almoçar, minha marmita estava revirada e minha mistura trocada. A criatura deixava o ovo frito dela e pegava meu bife. Isso aconteceu várias vezes até que minha paciência se acabou e armei o maior banzé. A pessoa acabou confessando dizendo que achava a comida de minha mãe cheirosa e ficou com vontade de provar. Quanta cara de pau não? Falei para ela: Então deveria de ter pedido e não mexido por conta própria e trocar sua mistura pela minha. Isso eu não perdoo!
Enfim, isso é um grande desabafo porque não me conformo com a falta de respeito das pessoas. A falta de educação e escrúpulos. Posso estar até sendo radical mas tem coisa que não dá para engolir! Sou de uma formação familiar que jamais nega um prato de comida para quem bater à minha porta. Logo, não sou egoísta. Se pedir não nego nunca a não ser que esteja fora de minhas condições. Mas, como cada um é cada um, a gente vai tendo que aprender a conviver com tais bestialidades do ser humano. As pessoas ainda têm muito o que aprender. O básico ainda! Fico por aqui caso contrário estico essa minha ladainha de inconformismo até o mês que vem. Mas que não me conformo, ahhhhh! Não me conformo mesmo! E fica aqui meu dito! Meu protesto! Minha ira!

3 comentários:

Letícia Alves disse...

Assino embaixo, as pessoas acham que podem assim sem pedir permissão realizar esses atos e achando da maior naturalidade possível.

Pedrita disse...

como disse um amigo hj, o q falta é educação. e independe do poder financeiro da pessoa. beijos, pedrita

Elvira disse...

E eu que achava que roubo de marmita só acontecia aqui na biblioteca...
Eu acho que é muita cara de pau mesmo. Não importa o que pegou, para mim é ladrão mesmo!
Bjs.
Elvira