segunda-feira, 22 de abril de 2013

Semana em que a MPB andou em alta em minha vida: momento show


A semana que passou me fez muito bem! Tive o imenso prazer de mais uma vez assistir a um show de Pedro Mariano. Incrível! Sempre saio de seus shows com a alma leve, lavada, renovada. Ouvir sua bela voz, sua interpretação que emociona, sua descontração e interatividade com seu público que já o acompanha de longa data é realmente muito prazeroso. Principalmente quando estamos ao lado de pessoas queridas e que tanto quanto nós, curtem o cantor e banda.Como sempre, teve momentos em que as lágrimas vieram a tona para várias pessoas ali presente. Principalmente ele, Pedro, que sempre se emociona. Quando cantou a música Risos e Memórias, dessa vez numa roupagem diferente da gravação, simplesmente arrasou! Foi demais! Ao término do show, ficamos para conversar com ele e entregar alguns presentes pois no dia dezoito, ele faria aniversário. O encontro foi bom demais, descontraído, muitos risos e a foto do "agrega" que já virou tradição.

E no sábado, fui assistir pela primeira vez ao show de uma das revelações do momento, Filipe Catto, no auditório do Memorial da América Latina. Já conheço algumas músicas dele que tem tocado nas rádios Adoraria e Saga. Gosto demais das duas. No entanto, fui totalmente no escuro pois de resto não conhecia absolutamente nada de seu repertório.Apresentando seu trabalho Fôlego, Filipe entrou no palco tomando conta de todo o ambiente com sua voz de contratenor afinadíssima e potente. A platéia a princípio tímida, pouco a pouco foi se inflamando com as interpretações de Filipe. Outro ponto forte do show é a banda que acompanha ele. Músicos talentosos que mandam muito bem. Eu fiquei encantada com tamanho talento desse moço. Tão jovem e já trás uma segurança no palco que poucos têm. 

Um dos pontos altos do show, foi quando cantou a música Sem Medidas, de Pélico. Nossa! Confesso que me arrepiei inteirinha e pelo número de suspiros que surgiu na plateia, a emoção foi geral.
Outro momento em que fiquei deslumbrada foi quando cantou uma canção das antigas mas que em sua interpretação, ganhou uma roupagem pra lá de nova: Luz Negra (de Nelson Cavaquinho e Amâncio Cardoso). Filipe consegue transformar um samba que já é um clássico num jazz de primeira grandeza. Enfim, ao término desse show, todos saíram com seus semblantes radiantes de prazer pelo embalo de excelente repertório e da voz magnífica desse que, sem dúvida, é uma das grandes vozes do momento. Foram dois momentos distintos e maravilhosos que marcou meu final de semana.

2 comentários:

antonio jose alves disse...

Roseli, Filipe é um talento q há muito não aparecia na mesmice da nossa música, Ele canta com prazer, vc deve ter percebido... Já assisti a mais de 30 show deles e sempre quero mais...
A foto q vc publicou é de uma fotografs q se chama Pops Lopes, que fez a foto da capa do cd, que é linda, sugiro vc ouvir o cd, vai fikar extasiada... bjão e parabéns pela sensibilidade e pelo blog !

Roseli Pedroso disse...

Antonio, descobrir de vez esse talento ao vivo foi uma das melhores coisas que me aconteceu. Sou movida a música e Filipe me cativou de vez. Obrigada pela visita, comentário e informação com relação ao fotógrafo. Adorei! Apareça mais vezes por aqui.
Bjs