segunda-feira, 1 de abril de 2013

Um olhar crítico sobre os últimos acontecimentos

Ando muito reflexiva com relação a tudo o que anda ocorrendo mundo afora. Confesso que tenho ficado apreensiva com o rumo que o ser humano está dando para sua própria vida. É interessante como a roda da vida e da história costuma dar dez giros depois retorna. E assim vai seguindo: dez pra frente, dez pra trás. E nesse ritmo nunca sai do lugar. Toda essa divagação é para falar um pouco sobre a intolerância que impera no mundo. É intolerância por conta re religião, por diferenças de ideologias, dentro da própria família, nas empresas, nos transportes públicos, entre gêneros...Enfim, a intolerância é a palavra da vez!
Mata-se por não ter tolerância com o mano que ouve o som auto de funk dentro de um ônibus. Espanca-se um homossexual por não tolerar sua opção sexual. Estupra-se uma mulher por achar que ela está se oferecendo e não se tem nem mesmo que perguntar se ela está a fim ou não. Simplesmente executa-se o ato num misto de gana, intolerância, recalque, ódio do mundo. Outro dia, estando em casa pois era um final de semana, do nada uma discussão iniciou-se ao lado, na casa vizinha. Era o filho gritando e ameaçando a mãe por ela não querer dar dinheiro para ele sair com amigos e se drogar. A ameaça era tanta que ele gritava que sentia ódio dela e que se ela não desse o dinheiro ela a mataria. A confusão foi tanta que os vizinhos interferiram e chamaram a polícia. Essa mãe desolada e com medo, no dia seguinte se mudou não deixando endereço e pediu para que os vizinhos tomassem cuidado com seu filho que não prestava.
Muito triste!
Dias depois, muda-se para essa mesma casa, uma outra família onde mais uma vez iniciou-se uma discussão das bravas. Agora era um neto ameaçando o avô idoso por querer sua parte na herança que lhe cabia. Mais uma vez a ameaça contra uma vida se anunciou e novamente, a vizinhança tomou partido e chamou a polícia.
Em toda parte, pessoas estressadas, desconfiadas e com tolerância zero para com seu colega do lado.
Tornou-se hábito geral falar: Não suporto isso! Odeio aquilo! Odeio quem gosta de funk! Odeio quem curte sertanejo! Odeio quem apoia a causa gay! Odeio quem se prostitui! Odeio! Odeio! Odeio!
Vivemos numa aldeia global onde irmão não tolera irmão. Nunca se falou tanto em diversidade e nunca também se teve tantas demonstrações de preconceito e não aceitação do diferente.
Voltando um pouco nossos olhos para nosso próprio umbigo: estamos presenciando uma luta onde estão medindo forças e transformando, como dizia nosso poeta Cazuza:  nosso celeiro num puteiro! É uma frase forte mas que ilustra muito bem nossa realidade.
De um lado, evangélicos (ou que se dizem) ditando o que é melhor para a sociedade. Do outro lado, as ditas minorias gritando em bom som sua fúria contra a censura e a ditadura religiosa. Me coloco do lado de fora dessa imensa arena em que o país se transformou e procuro analisar toda a situação de forma imparcial. É difícil mas tento. O que observo é uma guerrilha doida, insana e fora de época. Por um lado esses "Pastores" donos da verdade (que verdade mesmo?), que taxam todos que não pensam como eles de criaturas e não irmãos em Cristo. Usam e abusam do nome desse santo homem ao seu bel prazer. Sabem a Bíblia de cor mas são incapazes de seguir a risca os ensinamentos de Jesus. Muito pelo contrário, fazem o oposto do que o nosso irmão maior pregava. Simplicidade, humildade, generosidade, Amor! Zeraram a famosa frase de Cristo: Amai a Deus sobre todas as coisas e amai o seu próximo como a ti mesmo.Banalizaram a religião, o amor, o respeito, a honestidade. Transformaram nosso congresso num imenso circo e seus fiéis numa imensa gleba de ovelhas lobotizadas. É muito triste!
Não estou aqui generalizando pois sei que tem muitos irmãos evangélicos que são corretos e levam a sério sua religião. Eu mesma tenho inúmeros amigos e conhecidos que são cristãos e vivemos numa sintonia perfeita de respeito e amizade. Mas me revolto com essa pequena (não tão pequena) horda de pessoas que usam o bom nome de Deus e vestem-se de "Pessoas do Bem" mas que a única razão deles é gana de poder, dinheiro e se chafurdar na corrupção levando nosso país a bancarrota. Isso me dói muito pois sempre apostei e muito em nosso país e em nossa gente. E ver a nação afundando dessa maneira muito me entristece e me preocupa.
Atiçando a ira entre as pessoas, manipulando-as para que uma se voltem contra a outra. Tudo isso a gente já vê de longa data nos países do Oriente Médio e África. E sabemos muito bem o quanto isso nos enfraquece enquanto nação e o quanto esses bandos ganham com nosso enfraquecimento. Não podemos deixar que isso aconteça. Somos um povo que merece crescer, evoluir e mostrar todo seu potencial humano e tecnológico.

Um comentário:

Pedrita disse...

um dos pecados capitais, a ira. agora há pouco vi uma entrevista da fernanda montenegro no programa espelho. o lázaro ramos disse q em nenhum momento ouviu ela dizer q a família se opôs a ela ser atriz. ela disse q isso não se falava, mas ela disse q como queria sempre a paz, q ia aos poucos mostrando o q fazia e q isso poderia ter sido percebido e respeitado. famílias q se respeitam, percebem e não gritam. drogas concordo q é um caso à parte. é algo q prejudica o entendimento. mas muitos estão brigando por qq coisa, p q alguém no trânsito anda mais devagar, ou mais rápido. enfim, uma grande intolerância. beijos, pedrita