quarta-feira, 6 de maio de 2015

Primeiro me deixou sem verbo. Agora, sem fôlego!



Hoje vou falar de um livro que me surpreendeu do começo até sua última frase.
Já conheço o autor e sua escrita e o admiro muito. Conhecia alguns textos dele em revistas literárias e tive o prazer de ler e fazer um texto sobre o primeiro livro publicado Sujeito sem verbo que - fazendo uma trocadilho carinhoso, me deixou sem verbo para expressar o quanto gostei.
Terminei de ler sua mais recente publicação, a novela Os laços da fita.
Quando soube que iria publicar esse livro, não li a respeito mas mesmo assim, como tinha gostado de Sujeito sem verbo, tratei de comprar. Não pude ler de imediato porque estava com outras leituras à frente. Até que, lendo USA Noir (uma coletânea bem extensa mas muito legal), dei um tempo e peguei o livro de Fernando Rocha.
O livro me agradou primeiramente pela beleza estética da capa feita por Ricardo  A. O. Paixão. Sou aficionada em capas de livros! Folheei o livro e gostei da diagramação do texto. Pronto. Me ganhou e iniciei a leitura.
A história gira em torno de uma família esfacelada pela atitude extremada de um deles.
Fernando Rocha consegue passar ao leitor, toda a dor, revolta, tristeza em cada componente familiar.
Emoção nos mais diversos graus e matizes conduz o leitor ao término da novela sentindo ao mesmo tempo um aperto constante no coração e alívio. Literatura que nos faz refletir o cotidiano e o peso que a vida impõe nos corações extremamente sensíveis.
Fiquei comovida porque tive em minha família alguém muito semelhante ao personagem protagonista. Muito comum em todos os tempos.
O autor mais uma vez prova a excelência de sua narrativa. Uma voz que se sobressai entre tantos autores contemporâneos. Vale a pena ler!

Título: Os laços da fita
Autor: Fernando Rocha
Editora: Penalux
ISBN:978-85-66266-99-3
Paginação: 88
Ano: 2014

2 comentários:

Pedrita disse...

nossa, não conhecia. anotado. beijos, pedrita

Luma Rosa disse...

Oi, Roseli!
Não li nada do autor ainda, mas diante da sua resenha, como não ir atrás?
Lembro de um evento que teve no facebook - uma conversa entre vários autores, entre eles estavam o Glauber Soares e o Fernando Rocha. Foi quando conheci o autor.
Alguns temas são bastante difíceis de tratar, mas alguns autores o fazem com maestria.
Boa semana!
Beijus,