quinta-feira, 3 de março de 2016

Face emplumada - uma viagem em busca de si mesmo


É um privilégio de poucos, acompanhar o desenrolar do processo criativo de um escritor. Poder observar, mesmo que de longe, os personagens ganhando corpo, tornando-se reais. Melhor ainda, é poder ver esse escritor - antes, tímido, hoje, ousar em seus escritos.
Posso me considerar privilegiada por viver cercada de amigos escritores e usufruir um pouco de suas intimidades e saber sobre o que escrevem antes de todos os seus leitores comprarem o produto final, o livro pronto.
Terminei de ler já faz um tempo, o último livro de Gláuber Soares intitulado Face emplumada, @Link Editora. Ele estava na fila de livros - que cresce a cada dia , aguardando tempo livre para poder escrever sobre minhas leituras. Esse dia chegou.
Primeiro romance de Gláuber, já nos mostra o quanto o autor amadureceu desde sua última publicação, Remédio Forte (2014), aqui já resenhado por mim. Sempre gostei de sua escrita: direta, muitas vezes ácida, urbana. Gosto de me identificar como seus personagens que poderia ser qualquer pessoa com quem  transita nessa nossa louca metrópole chamada de Sampa.

Gostei demais do Guto, personagem central mas, confesso que me encantei com seu Galdino. personagem árido feito seu sertão, misterioso, sábio, trabalhador.

Daltônico, vinte e oito anos, solitário vivendo numa quitinete no centro de São Paulo, sonhador e ao mesmo tempo, um ser humano em busca de si mesmo. Esse é o resumo de toda a história de Guto. Porém, como verdadeiro artesão das palavras e ideias, Gláuber Soares soube, com sensibilidade e maestria, desenvolver uma trama rica em situações que muitas vezes, pode soar como surreais. No entanto, no nosso dia a dia, encontramos situações bem mais bizarras do que o autor expõe no livro. A vida imitando a arte e vice-versa.
Os conflitos que se apresentarão à Guto, durante sua trajetória nos solos semiáridos do nordeste ,mostrarão o quanto a vida pode ser dura, áspera mas, que também nos presenteia com delicadezas e belezas, naturais ou não. O crescimento de Guto enquanto ser humano, é o grande "pulo do gato" que o leitor acompanha passo a passo em uma deliciosa leitura. Ao término de minha leitura, surpreendi-me com um sorriso estampado no rosto e na alma. Meu amigo havia alcançado seu objetivo. Fez uma leitora feliz! E olhe que essa leitora costuma ser exigente!
Ah! Antes que acabe minha pretensa resenha, deixa eu dizer que além de toda a riqueza da história contada, o livro ainda tem um personagem constante na trama: Ziggy Stardust, criação imortalizada pelo David Bowie. Acha pouco ou quer mais? Quer mais? Então passe na primeira boa livraria perto de você e compre já seu exemplar Face emplumada. Gláuber, que venham muitos outros romances do quilate desse!

Essa é minha dica de leitura de hoje.

Sinopse: 
"Gustavo tem vinte e oito anos, é daltônico e vive sozinho numa quitinete na região central de São Paulo. Veio jovem do interior paulista, para estudar e trabalhar. Atualmente é analista financeiro de um banco de investimento, na poderosa avenida Paulista. Amigo da solidão, Guto também tem algo dos heróis desencantados da literatura existencialista de Camus e Sartre: a integridade moral. Sua vida segue sem grandes solavancos, até o dia em que decide viver uma grande aventura: ir de Sampa a Quixadá, no Ceará, atrás de uma garota que nunca conheceu mas não consegue tirar da cabeça. Parte do trajeto ele desbravará de moto. Primeiro romance de Gláuber Soares, Face emplumada narra uma fascinante jornada de autoconhecimento, para bem longe da bolha caótica da civilização. Seguindo um sonho maluco, Guto entrará em contato com as forças poderosas do semiárido nordestino – e por elas será modificado. Uma epifania profana o aguarda no labirinto ensolarado da caatinga. Para povoar essa viagem incomum, o romancista criou uma galeria de personagens inesquecíveis: o cabeleireiro Sandrinho, seu Galdino (o eremita da Fazenda Asa Azul) e sua família, a fisioterapeuta Paula, entre outros. Nessa galeria há espaço até para entidades insólitas, fruto da realidade e da imaginação fértil do protagonista: o roqueiro Ziggy Stardust e a grande coruja branca (rasga-mortalha). Guto é um herói urbano que sente certa ojeriza da metrópole. É um narrador sereno e ponderado, que descreve o mundo à sua volta de maneira objetiva. Mas às vezes delírios e sonhos instáveis assombram essa harmonia, desequilibrando qualquer objetividade. O encontro com as múltiplas formas da natureza áspera − a paisagem seca da caatinga, o preconceito e a hostilidade do mundo rural − será um teste definitivo de caráter e coragem. Teste do qual Guto sairá transfigurado, querendo ou não."

 (texto das orelhas escrito por Nelson de Oliveira)


3 comentários:

✿ chica disse...

Ótima resenha fizeste e o livro parece ser bem bom! Valeu! Lindo fds! bjs, chica

Gl@uber Soares disse...

Obrigado a querida e generosa Roseli pela resenha. E vinda assim de quem conhece do assunto: não tem preço! Valeu mesmo! Um beijo!

Nanete Neves disse...

Também gostei muito desse romance de estreia do Gláuber Soares. E o que mais me encantou foi a belíssima construção do personagem-protagonista, difícil de definir, cheio de semitons, sombras e luzes. Acaba o livro e você fica querendo saber mais dele, se surpreender de novo.