quarta-feira, 22 de março de 2017

Volta - se houver motivo para voltar

Chega de preguiça e vamos retomar as atividades desse blogue que já anda parado há muito tempo. 
Nessa postagem, retomo uma das atividades que mais gosto de desenvolver que é falar sobre os livros que leio. Confesso que nesses dois últimos anos minha cota de leitura caiu drasticamente. Por motivos pessoais, profissionais e por também estar em constante desenvolvimento da escrita no outro blogue Sacudindo as Ideias, andei desleixada com a leitura de meus adorados livros. Mas ainda bem que sempre há tempo de se reatar e voltar para velhos e doces hábitos.
Final de ano passado, mais especificamente no dia 03 de dezembro, a escritora Ana Costa lançou seu livro “Volta – se houver motivo para voltar”, pela editora Scortecci.
Livro de crônicas, todas baseadas em sua própria vivência, Ana divide com nós leitores, suas experiências de vida como quem sentou-se numa mesa de bar ou num café e desenvolve uma conversa calma, deliciosa, com pausas, risadas e alguns momentos de pura emoção. Adentrei em seu universo sentindo-me próxima a ela como se fossemos amigas de longa jornada. Identifiquei-me várias vezes quando narra suas experiências na doença que lhe acometeu há dois anos e que mudou drasticamente sua vida. Profissional da área da saúde, ao sofrer um AVC que lhe trouxe algumas sequelas, Ana viu-se da noite pro dia com sua vida toda bagunçada.  Minha irmã caçula também sofreu AVCs muito jovem e sei o quanto isso a afetou. Sofreu bullying no ambiente de trabalho. Sua vida pessoal também passou por mudanças e todo esse conjunto de situações fizeram a autora dar um tempo em tudo e sair em viagem com o filho, grande companheiro de todas as horas.
Suas crônicas abordam justamente essas experiências que viveu. Aqui e lá fora.
Muitos podem pensar que a autora pesou a mão em sua pena ao escrever traçando linhas deprimentes, sofridas, uma vez que o assunto abordado trás esse sentido. No entanto, Ana discorre em seus textos de uma forma leve, com pitadas de humor da melhor qualidade e outras tantas de  refinada ironia. Tudo na medida certa, faz de seu livro, uma obra deliciosa de se ler.
Como cronista que sou e, como leitora voraz, mergulhei na leitura.
Ao término, saí emocionada. Com a bagagem de vida de nossa escritora que não teve medo de enfrentar seus fantasmas. Ana, anseio pelo próximo. Não demore!

2 comentários:

✿ chica disse...

Que bom te ver e também falando desse livro que deve ser muito bom mesmo! Tão bom encontrar gente guerreira, sem médio de ir avante! bjs, tudo de bom,chica

Roseli Pedroso disse...

Obrigada Chica! Sempre bom também receber vocês por aqui lendo e comentando as postagens. Realmente super indico a leitura desse livro!
Bjs