terça-feira, 22 de abril de 2008

Queen - uma paixão que veio para ficar

Já tem um tempo que estava me programando para escrever sobre um grupo que me causou o primeiro impacto musical quando ainda era uma adolescente. Desde pequena que ouço música. Em minha casa, sempre tivemos rádio e, tanto meu pai quanto minha mãe, passavam o dia todo com ele ligado. Ouvia-se de tudo, rock, seresta, chorinho, valsa, música clássica e por ai vai. Meu pai que sempre foi um "pé de valsa" como dizia minha mãe, sempre ligava o rádio à noite depois que jantávamos e nos contava histórias de sua infância, piadas e nos ensinava a dançar. Logo, meu repertório musical foi se enriquecendo ao longo dos anos. Em meados de 1976, ouvi pela primeira vez uma música que me paralisou. Primeiro por sua melodia diferente de tudo o que tinha ouvido até então. Depois, pela parte instrumental que trazia um solado de guitarra, uma bateria e um baixo aliado a instrumentos diversos que me impressionou. Mas o que realmente me deixou estática foi a voz e a interpretação do vocalista e dos arranjos vocais que até então, nunca tinha ouvido nada igual. A partir daí, despertou meu interesse e busquei saber quem era, o que mais cantavam e iniciou um "caso de amor" que dura até hoje. É claro que como todo caso de amor, a paixão inicial se acalmou e com o passar dos anos, desenvolveu-se um sentimento calmo, delicioso, confortante que, de tempos em tempos, retorno a ele como se retornasse a casa materna. Estou falando do grupo inglês Queen. Na época, pirei literalmente e musicalmente falando. Em minha roda de amigos e conhecidos do colégio e da rua em que morava, virei piada pois todos achavam meu gosto musical no mínimo "estranho". Aos poucos minha irmã mais velha que na época já trabalhava e era uma beatlemaníaca, também se interessou pelo som do Queen e comprou o famoso álbum branco que tinha essa canção. Foi uma paixão total e avassaladora. Descobri outras faixas que me encantaram e não parei mais de comprar seus discos. Faixas não tão conhecidas do grande público como Seaside Rendezvouz, Prophet's Song e a que se tornou ícone do grupo, Love of my life, na versão original que lembra uma cantiga medieval, me deixou fascinada. Aos poucos, passei também a comprar pois no ano seguinte comecei a trabalhar também e em pouco tempo, fizemos a coleção do grupo. Com o passar dos anos, o Queen foi crescendo, experimentando outros gêneros musicais mas a sua essência sempre foi mantida. O carisma de Freddy Mércury, seu talento vocal e sua veia de ator que esteve sempre presente em suas apresentações deixaram marcas na história do rock. Quando o grupo veio ao Brasil pela primeira vez, tive o provilégio de assistir. Foi meu debut em shows e tenho comigo, debutei em grande categoria pois só tem foi assistí-los ao vivo é que pode falar da emoção que todos tiveram ao presenciar esse grupo no palco. Simplesmente sem palavras para descrever. Quando lembro-me daquela noite, parece que foi um sonho. E um daqueles sonhos maravilhosos e fantásticos. O grupo todo era extremamente talentoso. O Freddy dispensa apresentações, o Brian May além de compositor, um dos melhores guitarristas que já aparecerem no cenário do rock (essa é minha opinião). Sem seus fabulosos acordes e solos de guitarra, algumas das mais famosas músicas do grupo não teriam sido tão boas. John Deacon e seu baixo também contribuiram e muito para a beleza das canções. Com seu jeito tímido no palco, ele sabia dar seu recado através de seu instrumento. E Roger Taylor, louro, lindo e talentosíssimo em sua bateria. Meu Deus, o cara arrasava carteirão encima daquela bateria. Por um bom tempo fiquei impressionada com aquele show. O tempo passou, aquela garota amadureceu, o Freddy infelizmente partiu desse plano, o grupo terminou mas a paixão, o respeito por esses músicos e a alegria que sinto cada vez que pego um daqueles "bolachões" para ouvir continuam intactos em mim. Porisso deixo aqui essa homenagem a eles que tanto me fizeram feliz numa época tão boa de minha vida que foi a adolescência. Segue abaixo os endereços dos sites oficiais e dos fãs-clubes do Queen. Agradeço também ao site do fã-clube pelas fotos que ilustram esse texto. Vale a pena conhecer. E termino de escrever cantando uma música:
I live my life for you, Think all my thoughts with you and only you ...

Site Oficial do Queen: http://www.queenonline.com/

Site do Queen Fã-Clube do Brasil: http://www.queennet.com.br/QN/html/

Este vídeo é uma homenagem ao grupo mas, principalmente ao Freddy e tem como trilha de fundo a música In The Lap Of The Gods que apesar de não ser tão conhecida do grande público, é uma das minhas preferidas.

video



Este outro vídeo, já é com o Freddy Mercury numa carreira solo ao lado da cantora lírica espanhola Monserrat Caballè. Encontro maravilhoso entre duas vozes cristalinas e performance idem.

video

4 comentários:

Rudi Santos disse...

Olá querida, ca estou para admirar teu trabalho. Muito bom o texto e muito boa a escolha do vídeo. Não duvido de que vc gostasse do queen desde pequena pois a Anne, minha filha de 9, adora as musicas e vai furar meus cds de tanto tocar. ela dança, tenta cantar as musicas e acho que como ocorreu com vc pegou no sangue. "Pena que o Queen morreu pai" me disse um dia não entendendo que o nome do artista não é o mesmo da banda. Bom, obrigado pelo alerta de texto e video. beijo.
ah, aproveitando que é bibliotecária, estou precisando do conto pirlimpsiquice...do livro primeiras estorias do guimaraes rosa...será que tem na net? ja viu?
to precisando urgente e não consigo achar.té

Mauro disse...

OIIII
Adoro o Queen tb....
Eles tem hits que são verdadeiros hinos atualmente
Bjos
Mauro

Anônimo disse...

OIIII
Adoro o Queen tb....
Eles tem hits que são verdadeiros hinos atualmente
Bjos
Mauro

Juliane Galletti disse...

HUMMMMMM... eu gostei muito daqui... acho que vou colocar nos favoritos pra voltar mais vezes. Parabéns ! ;]