terça-feira, 9 de novembro de 2010

Meteorologia da alma

Abro a janela da alma e o que vejo?
Céu cinzento, nuvens carregadas, ouço trovões ao longe
Tento focar meus olhos para ver se adiante encontro o calor do sol
Mas qual quê! Só o que sinto, é o vento frio a me fazer tremer a alma

Fecho a janela, me recolho à sala da memória
Refugio-me nas lembranças de dias ensolarados
Onde risos, juras de amor e muitos beijos ofertados
Curavam minh'alma e me traziam muita calma.

Choro, me descabelo diante da solidão que minha vida se tornou
Me pergunto onde foi que o caldo entornou
Por que nossa relação amarelou e se despencou
Não encontrando respostas, abro novamente a janela da alma e...o que vejo?

Nada.
A não ser céu cinzento, nuvens carregadas
E continuo a ouvir esses malditos trovões
Que massada!


Meu descaramento em tentar fazer poesia. Tosca coitadinha. Mas é um exercício que desde já estou fazendo pois logo, logo chega o módulo de Poesia na pós.

9 comentários:

Nini C . disse...

Adorei. Te entendo bem.

Daniel Savio disse...

Eu adoro clima chuvoso, mas menina poesia só se aperfeiçoa se não ficar guarda, pois cada olhar novo acrescenta algo a ela...

Fique com Deus, menina Roseli Pedroso.
Um abraço.

Cristiane disse...

Oie!

Que gostoso de ler seu poema!!!

Gosto muito do seu estilo de escrever...

Encontrar respostas, reflexão, toques da alma...a grande busca do ser humano.

Cris Marino (www.cristianemarinom.blogspot.com)

bjokas

Francy´s Oliva disse...

Espero que você tenha mais descaramentos (rs).
Bjs.

Sonhos & melodias disse...

Oi Nini,
Obrigada pela visita. Volte sempre viu?
Bjs

Sonhos & melodias disse...

Daniel,
Menino você tem razão. Tá na hora de eu desengavetar meus escritos e trabalhá-los e lógico, postá-los aqui pra vocês.
Bjs

Sonhos & melodias disse...

Oi Cris! Bom ter você de volta! E se te agradou então, já estou satisfeita. Obrigada pela visita.
Bjs

Sonhos & melodias disse...

Oi Francy's,
Vou descarar mais vezes, rsrs
Bjs

Jean-Louis disse...

Oi Roseli,
Gostei muito do seu poema. Particularmente de sua tentativa bem-sucedida de sinéstesia:"Tento focar meus olhos para ver se adiante encontro o calor do sol"
Seu ritmo e cadença acrescentem muito ao sujeto. Os contrastes nas imagens impulsionam a imaginação a compartilhar seu estado emocianal e a resolução é bem escolhida, nunca escapando a realidade da vida. Um poema muito expressivo e cheio de sentimentos comuns a todos nós. Parabens! Jean-Louis.
PS: Obrigado para ajudar sem saber. Me encontro procurando o sentido das palavras desconhecidas o que é um bom exercicio.