quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Ser elástico, ser resiliente

Resiliência. Essa palavra tem cruzado meu caminho de longa data mas até então não havia parado para pensar muito menos para ler sobre esse tema. No entanto, quando volto meus olhos para trás e analiso minha história de vida, vejo com alegria que sou resiliente. Para quem ainda não sabe, resiliência , de acordo com o conceito psicológico, é a capacidade do indivíduo em lidar com problemas, superar obstáculos, resistir à pressão de situações adversas como choque, estresse, etc sem entrar num surto psicológico.
Bom, aqui simplifiquei ao máximo pois existem estudos bem aprofundados sobre essa questão. No entanto, é basicamente isso. Já enfrentei na vida situações de grande estresse devido a doença e perda de familiares queridos, situações na vida pessoal, perda de emprego, falta de dinheiro, e tantas outras coisas que nos afetam . Não estou querendo dizer aqui o quanto sou boa, ou o quanto sou forte. Pelo contrário, já me vi fraquejando, chorando , me descabelando bastante.No entanto, tenho uma capacidade absurda de dar a volta por cima, limpar a poeira da roupa e seguir em frente conseguindo enxergar lá na frente, dias melhores. E tem mais: faço meus dias ficarem melhores afinal, se ficar parada no lugar esperando que os problemas se resolvam por si, aí sim é que posso sentar e chorar pois eles não se resolverão. Meu otimismo me leva sempre a seguir em frente e, mesmo com medo, não me deixo paralisar e encaro os problemas e viro sempre as páginas de tudo o que me acontece. Não importa o que. Uma vez concluído não sou de ficar chorando se sei que não tem retorno. Há situações que estão além de nossa vontade portanto, deixo que siga em frente e igualmente sigo também.
Segundo o pesquisador George Souza Barbosa, significa também você administrar suas emoções, controlar seus impulsos, ter empatia, otimismo, análise causal, alto eficácia e alcance de pessoas (2006). Bom, não cheguei ainda lá no topo mas creio que estou a caminho. O importante ao meu ver, é não perdermos a visão real de nós mesmos dentro de determinadas situações. As vezes, deixando-me levar pelas emoções arrebatadoras, tenho minha visão distorcida sobre pessoas e situações. Mas, a santa hora em que encosto minha cabeça no travesseiro, é a hora de botar as emoções nas rédeas, refletir, pensar e buscar resolução para meus problemas. E acredite, na maioria das vezes, no dia seguinte encontro resolução para tais problemas. É o ato frequente de reflexão. Isso nos faz agir não de forma mecânica como sempre costumamos fazer mas, nos orienta e nos torna mais cônscio de nossos atos.

6 comentários:

Valéria Russo disse...

ROSELI..
descobri que sou resiliente, pois como vc tb tenho essa estranha capacidade de dar a volta por cima surtando o mínimo necessario...rsr
adorei e aprendi mais uma palavra que não conhecia.
bjuivos no seu coração.
loba.
tenha dias especiais.

Georgia disse...

Ro, querida.

Isso é tudo o que eu nao consigo. Controlar minha paciência, meu estresse, menina, qdo será que vou conseguir isso???


Um bjao

Jean-Louis disse...

Bom dia Roseli,
grato pela sua visita. Fiquei feliz que você gostou do meu blog. Não sei se vc olho mais do que a primeira página, mas escrevo também poemas em Português alem os estudos e reflexões pessoais.
Gostei muito da sua filosofia atitude flexível enfrentando os desafios. Vc pode inspirar pessoas a superar dificuldades com seu exemplo. Ha pessoas que precisam de ajuda e não sabem como fazer, pelas emoções fora de controle e a carencia de conhecimento prático para lidar uma vida equilibrada. Eu por minha parte me focalizo no aspeto espiritual do ser humano sem perder de vista todos as outras facetas da personalidade humana.
E muito bom, sim, compartilhar com outros as preciosas coisas que temos encontrado na vida para que o amor que é o maior dom seja espalhado a nosso redor, o melhor de nos aos que querem receber.
Te desejo um ótimo dia.
Um abraço, Jean-Louis.

Nika disse...

Olá Roseli descobri que sou resiliente como você.Também sou otimista, passo por várias coisas sem surtar..rsrsrs
bjs

Ana disse...

Oi Roseli.
Eu também sou resiliente.
Sofri muito na minha infância, e mais ainda na adolescência. Mas sempre dei a volta por cima. Muitas vezes as pessoas criaram expectativas em cima de mim achando que eu terminaria numa depressão, mas nunca cheguei a isso, graças a Deus e a essa minha capacidade de resistência. Sempre procurei e procuro fazer coisas boas na vida, mesmo diante das adversidades.
É bom saber que existem pessoas assim como eu. Somos resilientes!

Abraços

Daniel Savio disse...

As vezes quando estamos no fundo do poço só nos resta o caminho de volta ao topo...

Fique com Deus, menina Roseli Pedroso.
Um abraço.