quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Duas sugestões de leitura

Vamos sacudir a preguiça que se instala no final de ano e começar a escrever pra valer.
Faz tempo que não falo nada a respeito das minhas leituras. No segundo semestre, como estive mais ocupada com meus afazeres da escrita da pós, acabei deixando de lado minhas leituras. O que me deixou um pouco triste afinal, recebendo livros novos a todo momento aqui na biblioteca, não deu outra: fui ficando ansiosa vendo tantos títulos legais chegando e eu não podendo ser a primeira a ler. Mas de qualquer forma consegui ler alguns. E é sobre eles que vou falar agora.
O primeiro que peguei (dos dois) assim que chegou foi Fora de Mim, de Martha Medeiros. Acompanho essa escritora já há um tempo e adoro todas as crônicas dela. Esse livro em questão é um romance. Nele, a personagem passa pela experiência dur
o de ser largada pelo marido. A dor da separação, a constatação de que já não há um par, a certeza de que aqueles momentos felizes não voltarão mais, a dor da rejeição. Tudo isso relatado num ritmo frenético. Exatamente como está o interior da personagem. Leia a sinopse:

Em Fora de mim, a autora vai ainda mais fundo na descrição de sentimentos universais provocados por essa perda, comparada por ela a um acidente de avião, em que os sobreviventes "percebem a perda de altitude, a potência enfraquecida das turbinas e o desastre iminente, até que acontece a parada definitiva da aeronave, (...) e sobe do chão um silêncio absoluto, (

...) a quietude amortizante de quem não respira, não pensa, não sente nada ainda."

A autora inicia sua narrativa visceral no instante da despedida, da queda, do fim trágico, nem além nem aquém da dor maior: quando se tem a certeza de que não há mais volta. Aos poucos, o leitor vai compreendendo como tudo aconteceu, como tudo afinal foi ficando fora de controle.

Recém-separada de um casamento longo e pacífico, a protagonista se apaixona loucam

ente, embora não cegamente, por um outro homem, de personalidade conturbada, com quem vive uma intensa paixão. Consciente do mergulho, a mulher pressente que no fundo daquela relação só acabaria encontrando a escuridão da dor. Mesmo assim, dá o salto. E perde.

A entrega aqui é um vício sem saída.

O segundo livro foi Um erro emocional, de Cristovão Tezza.

Como já havia lido do mesmo autor O filho eterno e simplesmente fiquei extasiada com a forma de sua escrita, assim que chegou esse outro título dele, tratei de pegar para ler.

Confesso que li numa tacada só assim como o da Martha Medeiros. Com um diferencial: são escritas tão diferentes uma da outra, que as emoções fluem de uma maneira louca e absurda.

Com o livro da Martha, numa linguagem mais direta sobre as emoções à flor da pele quando se perde um grande amor, me senti retratada.

Afinal, quem nessa vida já não entrou com a bunda e seu

parceiro com o pé? Dói pra burro! Já no livro de Cristovão, fala-se de emoção também. Assim como fala de interiorização de cada personagem, seus pensamentos mais íntimos, suas "encanações", sua solidão.

Sei que a forma dele escrever não agradará a todos os leitores. Principalmente aqueles que gostam de linguagem direta. Sua escrita é mais subjetiva, dá mais voltas, mas é de uma riqueza que me agrada muito. Aprecio de fato a maneira que Cristovão Tezza escreve. Sem dúvida, já se tornou um de meus escritores contemporâneos preferidos.

Leia a sinopse:

Em Um Erro Emocional, Tezza apresenta a conflituosa relação entre Paulo e Beatriz, um escritor e sua leitora. O livro começa com uma declaração, uma frase truncada: "Cometi um erro emocional." É o ponto de partida para um mergulho em lembranças nem sempre agradáveis. Logo, Paulo e Beatriz vão se tornar cúmplices.

E é isso pessoal. Fica aqui minhas sugestões para iniciar um ano que, espero, seja rico em muitas leituras.

Um comentário:

Daniel Savio disse...

Parece ser interessantes, mas como são mais profundos, é bom fazer uma leitura em grupo para discurtir...

Fique com Deus, menina Roseli Pedroso.
Um abraço.