sábado, 23 de julho de 2011

Dia nebuloso, alma idem

(Imagem retirada do blog Mensagens e Gifs)


Hoje acordei me sentindo estranha. Tive uma boa noite de sono mas ao despertar, sentia-me triste, deslocada, com uma sensação de perda. Tentei levar o dia me ocupando das tarefas diárias mas o tempo todo aquela sensação angustiante a assaltar a alma. Ao ligar o computador para ler meus e-mails, deparei-me com a triste notícia dos atentados na Noruega. Isso me deixou desestabilizada, abestada, incrédula com o que um ser humano ainda é capaz de fazer ao seu próximo. De imediato me coloquei de joelhos mentalmente e,com o coração apertado e me sentindo um ser minúsculo nesse universo sem fim, elevei uma prece por todos que foram vítimas de mais uma sandice humana. Até quando meu Deus?! Confesso que há momentos em que me sinto um ser extremamente velho carregando todos os sofrimentos do mundo desde que esse mundo é mundo. Chego ao ponto de ser abusada, imaginando ser Deus e sentindo tudo o que ele deve sentir vendo sua criação mais complexa usando e abusando do poder, da inteligência e dos inúmeros golpes baixos para prejudicar seu semelhante. E fico com um imenso sentimento de dó desse ser supremo e superior ao presenciar diariamente tantos abusos nesse planeta que criou. Após o almoço, que quase não toquei, decidi dar uma volta para espairecer. Fui a um shopping e andei por mais ou menos duas horas sem me agradar de nada que via por lá. Só consumo desenfreado, pessoas que se esbarravam sem ao menos se olharem, fingindo que são felizes nessa vidinha medíocre e superficial. Retornei pra casa me sentindo mais deslocada do que antes. E a tristeza jorrou feito um duto que se rompe ao botar o pé em casa e saber pela minha irmã da morte da cantora Amy Winehouse. Não deveria me chocar diante de tal notícia afinal, seu destino já era uma tragédia anunciada. Mas mesmo assim, como isso mexeu comigo! Puta merda! Morrer aos vinte e sete anos! Ninguém deveria morrer nessa idade! Ainda mais sendo uma pessoa talentosa, que teve uma chance que tantos não conseguem de se deslanchar numa carreira artística, ser reconhecida internacionalmente e se deixar levar assim, de forma desastrosa, patética numa derrocada pessoal e profissional tornando-se nos últimos tempos uma caricatura de si mesma. Lamentável! Confesso que não aguentei e chorei.
Chorei por todas as Amys que sucumbem diariamente em todo o planeta devido às drogas, chorei por todas as pessoas que morrem diariamente vítimas de tantas violências, chorei por ter vindo a esse mundo cão que por mais maravilhoso que seja, muitas vezes se torna sombrio, escuro, verdadeiro purgatório de Dante onde nos vemos cercados por almas sofridas lamentando, gritando, expurgando suas mazelas e jogando na nossa cara o quanto ainda temos a aprender. Que merda! Comecei a chorar novamente! E encerro essa minha reflexão do dia parodiando e fazendo minhas as palavras do escritor J. M. Simmel: "Por quantos ainda vamos chorar?"

2 comentários:

Monica Loureiro disse...

Coisas muito tristes....

Gostei de ter vindo ao seu Blog através do Blog da Georgia.
Fiquei curiosa pra ler o livro
AMAR DE OLHOS ABERTOS...

Sonhos & melodias disse...

Obrigada pela visita Monica. Apareça sempre. Estou lendo esse livro e estou gostando bastante.
Bjs