segunda-feira, 31 de outubro de 2011

31 de outubro - Dia D

Quem não conhece um poema que seja de nosso poeta maior Carlos Drummond de Andrade? São tantos e tão comoventes que não tem quem não goste. Fica difícil escolher uma poema para homenageá-lo no dia de hoje. Mas vamos lá que o dia promete com muita poesia na blogosfera.
Veja mais no site diaD

Toada do amor

E o amor sempre nessa toada:
briga perdoa perdoa briga.

Não se deve xingar a vida,
a gente vive, depois esquece.
Só o amor volta para brigar,
para perdoar,
amor cachorro bandido trem.

Mas, se não fosse ele, também
que graça que a vida tinha?

Mariquita, dá cá o pito,
no teu pito está o infinito.

Poesia

gastei uma hora pensando um verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira


Nenhum comentário: