segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Desafio 15 minutos todo dia

1º Dia - Desapego

Essa palavra está me perseguindo desde a hora em que abri meus olhos hoje. A todo momento, ela aparecia em minha tela mental como um grande neon a me alertar. Até devido a minha formação religiosa, desde cedo sempre ouvi essa palavra em casa. Mas é difícil aplicá-la no dia a dia. O ser humano tem a tendência de se apegar a tudo: objetos, animais, gente. Eu, como uma canceriana que faz juz a seu signo, sou apegada a tudo. Por ter uma memória elefântica, trago em minhas gavetas da alma milhares de lembranças da minha infância, da adolescência e também de minha vida adulta. Todas registradas e catalogadas como numa grande biblioteca. Objetos também fazem parte desse enorme acervo que mantenho. Discos em vinil que insisto em manter numa coleção imensa que toma um espaço absurdo mas que não me desfaço por nada. Cada bolachão me remete a um momento, a uma situação e a um ano que vivi e que foram importantes para mim. E por fim, pessoas. Pessoas que fazem parte de minha vida e que - talvez por isso mesmo - seja tão difícil de me desapegar. Bem sei que há pessoas que passam feito meteoritos em nossas vidas trazendo um pouco de luz e calor mas que, da mesma forma que surgiram, somem não deixando rastros. Outras, atravessam nosso caminho feito um tsunami chegando com força animal, arrasando com nossas defesas e causando um enorme estrago. Mesmo sabendo do quanto foram prejudiciais em nossas vidas, nos mantemos apegados a sua lembrança. E tem também aquelas pessoas lindas, especiais, que surgem em nossas vidas quando menos esperamos e nos envolve num halo de luz, serenidade, alegria. Que nos inspiram a sermos melhores mas que, de uma hora pra outra também seguem seu rumo pois criaturas assim precisam levar a mais e mais corações esse manto de paz. Toda essa história que aqui narrei é pra dizer que no atual momento de minha vida, vou trabalhar todos os dias pelo menos quinze minutinhos para meditar o desapego - de tudo e de todos. Isso não significa que me transformarei num bloco de gelo sem sentimentos. Não mesmo. Mas desejo sofrer menos e o ato de se desapegar ajuda e muito.
Esse texto faz parte do desafio promovido pelo blog Escritos reunidos
Para saber mais e também participar entre aqui

2 comentários:

Juliana disse...

Desapego é um desafio e tanto, Roseli! Já ouviu falar em Hooponopono? É uma filosofia havaiana que trabalha bastante a questão do desapego pela perspectiva de limpar, purificar, transmutar nossas lembranças. É bem interessante! Quem sabe te ajuda nessa busca? Eu utilizo em minhas meditações e gosto bastante dos resultados.

Abraços!

Juliana

Roseli disse...

Oi Juliana
Ainda não tinha ouvido falar nisso. Vou procurar me informar. obrigada.
Bjs