terça-feira, 15 de novembro de 2011

Ser feliz não é ser personagem da novela das oito

Hoje tive um dia de...como li no post da Flavia Mariano, saco cheio. Minha vida não anda lá essas coisas. Tá certo. Sei que aos olhos de muita gente, sou uma pessoa privilegiada (e sou mesmo), inteligente, com uma profissão e bem colocada no mercado, com casa própria enquanto tantos brasileiros não tem nem onde se abrigar, tenho amigos queridos. Mas sabe como é, como todo ser humano, a gente nunca está satisfeita e sempre tem algo errado em nossas vidas certo? Comigo não poderia ser diferente. Durante o dia me estressei legal com minha irmã e isso me azedou o dia. Ao sentar aqui pra ler meus e-mails e meu blog, deparei com a postagem da Flavia e isso me fez refletir e me lembrei de um sonho que tive essa semana.
No sonho, eu conversava com minha sobrinha adolescente e que se encontrava em crise se sentindo muito infeliz. Lembro nitidamente do que falei a ela:
"Não permita nunca que as dificuldades, os obstáculos, as pessoas interfiram na sua felicidade. Felicidade é uma opção que fazemos na vida, um estado de espírito que adotamos independente do que a vida nos oferece."
E tenho esse lema comigo sempre. Sou altamente vulnerável, emotiva, sensível. Tenho chorado muito nos últimos tempos mas isso não me impede de ser feliz, pois foi minha opção de vida: ser feliz sempre. Independente do que venha a passar na vida. Se hoje tiver na minha mesa pão velho e água salobra pra tomar, vou agradecer da mesma maneira se tiver uma mesa farta com guloseimas e um vinho de boa safra. O agradecimento pelo dom da vida será sempre o mesmo. E isso independe de minha religião ou a falta dela. É minha conduta e filosofia de vida. Agradeço sempre. E sigo feliz mesmo que as pedras do caminho me firam a sola dos pés. Gente, a vida não está fácil pra ninguém. Com todos que converso, a temática é a mesma: todos andam de saco cheio de muitos problemas enfrentados. Mas olha, que tal mudarmos nossa ótica da vida? Vamos combinar de pelo menos tentar olhar as coisas, os problemas, as dificuldades, nossos desamores de outra forma? E isso serve e vem de encontro ao que a Juliana do blog Escritos Reunidos já vem pregando em seu desafio dos 15 minutos por dia. Não é fácil, muitas vezes a gente peca legal chutando o balde mas vale a pena tentar. Isso também é qualidade de vida.

4 comentários:

Depois dos 25... disse...

Roseli, super válida sua colocação: tentar ser feliz apesar de qualquer coisa. Mas acho que gritar que está de saco cheio não é dizer que está infeliz, mas que certas coisas precisam que você mude já! Algumas coisas estão sim te levando a infelicidade.

Vivemos em uma sociedade em que dizer que está triste é sinônimo de fracasso, assim vivemos entalados.

A parte da insatisfação faz parte da vida e é necessária em muitos momentos. Sim, admitir que está de saco cheio é o primeiro passo para ir em busca dos ajustes necessários, afinal nos deixamos empurrar pelo dia a dia e quando nos damos conta, estamos a ponto de explodir e gritar: estou de saco cheio!

Acho que o que mais leva as pessoas a infelicidade nos dias de hoje é essa obrigação de ser feliz 24 horas. Casamento feliz, carreira feliz, tudo feliz. Não, em alguns momentos o que é felicidade para o outro já não é para nós. Além do mais, vivemos em um mundo de tamanha aparência que, por vezes, o do lado pode estar de saco tão cheio quanto nós, mas finge ser uma fortaleza e faz com que a gente se sinta miserável por reclamar de barriga cheia, sabe como é?

Me solidarizei com essa amiga que disse estar de saco cheio para mostrar: pode gritar, você não é a única, esse é o primeiro passo para a transformação. A infelicidade é ruim quando passa a ser comum, Mas quando vem temporária, é preciso sentir, se jogar, porque fundo do poço tem mola.

Amei o texto e concordo: a busca da felicidade sempre, mas só consegue lutar por ela quem admite não estar feliz, né?

Assunto longo... rs

Beijos!!!

Celina Dutra disse...

Felicidade a gente aprende. É exercício diário. Felicidade não está relacionada com alegria, prazer, isto pode até contribuir, mas felicidade é estado de alma, é escolha de não permitir que preocupações, tristezas, desamor retirem da gente o estado de encantamento pela vida, pelo universo.
Girassóis nos seus dias. beijos

Roseli disse...

Oi Flavia concordo em alguns pontos com você mas quando digo que optei pela felicidade, não é essa felicidade que as novelas pregam. Viver a vida plenamente passando pelos dilemas e problemas fazem parte de nosso crescimento pessoal. mas quando digo que sou feliz, é um estado de espírito que procuro manter para ter serenidade em enfrentar os dissabores da vida.Sofrer faz parte desse crescimento e aí daquele que se nega a sofrer.
Bjs e obrigada pelo comentário

Roseli disse...

Concordo com você Celina. E uma vez que mantenho meu estado de alma em paz, sou feliz mesmo que tenha de enfrentar um tsunami na vida. Obrigada pela visita e comentário.
Bjs