quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Preparando-se para a batalha

Meus leitores que me perdoem mas ultimamente ando pra lá de cansada de ser a "boa menina", a "boa aluna", a "boa funcionária", a "boa filha", a "boa irmã", a "boa cidadã", a " boa"...PQP, Cansei!
Cansei de tentar ser boa em tudo, cansei de ser sexy, cansei de tentar agradar a todos o tempo todo. Quer saber? Não pretendo ser miss universo mesmo então PHODA-SE!
Estou tendo minha crise de adolescência tardia? Pode ser afinal, durante minha adolescência não tive oportunidade nem chance de ter todas as crises de crescimento que tinha direito. Desde cedo tive de encarar a vida adulta com seriedade e responsabilidade e dessa estrada nunca mais me desviei.
Portanto, agora sinto-me no direito de reivindicar todas as crises ao qual tenho direito e sofrer, e chorar, e xingar, e gritar tudo aquilo que venho entalando na garganta e me causando grande náusea há décadas. Ando chorando também e muito. Coisa que não fazia quando mais nova por achar que chorar era coisa de gente fraca e ser o maior mico. Choro de gosto em qualquer lugar e se tiver alguém por perto que se incomode, peço a gentileza que se retire de perto de mim. Estou jogando fora todos os conceitos que me foram jogados goela abaixo durante toda minha vida: "Temos de ser bons", "Temos de ser cristãos", "Temos de...", "Temos de..."
Ando naquela de fazer faxina nas prateleiras de minh'alma e reavaliando posturas, condutas, relacionamentos, vida profissional e já selecionei o que presta e vale a pena manter e levar comigo para o resto de vida que ainda tenho. Só me falta agora sair da zona de conforto em que me encontro há anos e jogar fora todo o lixo que acumulei e que tem me sufocado impedindo que cresça, evolua. O difícil é que nós seres humanos temos a rara habilidade de nos acostumarmos até mesmo com aquilo que nos incomoda, machuca, dói. Vá entender não? Mas essa semana será crucial e um divisor de águas em minha vida. Tenho plena certeza que ainda vou derramar muitas lágrimas, mas elas serão de purificação. Tenho consciência que muitas vezes tentarei retroceder em minha caminhada. mas também sei que essas paradas serão para retomar o fôlego e seguir adiante. Tenho certeza que tentarei de forma infantil retornar ao útero materno que era tão bom e seguro. mas também sei que foi graças a esse calor humano mais genuíno que recebemos ao nascer, é que reencontrarei coragem para superar meus medos, minhas neuras, minhas inseguranças e vencer todos os meus fantasmas.
Será uma dura batalha comigo mesma mas sei que ambas: meu inconsciente e meu consciente, sairão vencedores e renovados. Estou pronta pra batalha. Que venham os inimigos!

Um comentário:

Suelen Muniz disse...

Oi Roseli,
E o pior é que a gente sempre se acostuma não é mesmo?!
Li o teu texto e lembrei que quando mais nova não chorava por achar fraqueza,hoje já consigo chorar na minha sozinha,ainda não estou na faxina total,mas sempre que posso mudo alguma coisa e a zona de conforto,um dia quero experimentar como é sair dela.
Uma boa quinta,=)