domingo, 12 de junho de 2011

Dia dos Namorados

Que falta eu sinto de um bem,
Que falta me faz um xodó
mas como eu não tenho ninguém,
Eu levo a vida assim tão só.
Eu só quero um amor
Que acabe o meu sofrer
Um xodó assim
Do meu jeito assim
Que alegre o meu viver
(Anastácia/Dominguinhos)

Mais um doze de junho chegando e eu aqui dando milho aos pombos...Às vezes penso que é pura incompetência minha para conquistar alguém e manter um relacionamento. Outras vezes, penso que é preguiça mesmo em tentar levar algo adiante. Sei que apesar da idade biológica, tenho em alguns momentos idade mental de 13. Principalmente quando se trata de lidar com as emoções e sentimentos. Por outro lado, vejo que não estou sozinha nessa fila imensa de desgarrados pelo mundo. O número de pessoas sozinhas é cada vez maior em todos os países e isso me leva a refletir o quanto é difícil se relacionar hoje em dia. Parece que até a geração de minha mãe as coisas eram bem mais fáceis de se resolver. Por outro lado, não se tinha a gama de opções que se tem hoje. Exemplo?
A mulher não tinhas escolhas. Ou se casava com o homem que seu pai arranjava, ou se contentava com o primeiro que aparecesse e se interessasse por ela. Era pegar ou pegar. Ficar para "titia" era horrível demais para qualquer moçoila de boa família. No entanto, com o passar dos anos e das conquistas feministas, ganhou-se por um lado, perdeu-se e muito por outro. Como tudo na vida, não dá para se ter tudo o que deseja. Minha geração tornou-se imagem de sucesso: mulheres independentes financeira e psicológicamente. Conquistamos a liberdade de escolha. De olhar para um grupo de homens e pensar: "Quero esse pra mim" e ir a luta. Passar por inúmeras experiências sexuais com vários parceiros, conhecer a fundo o prazer da carne e depois...Pois é, e depois? Como ficamos? Na maioria das mulheres, baixa um vazio imenso após uma transa sem afetividade. Pode até ser bom na hora mas após passar toda a fissura, vem a sensação de nada, de vazio total e até mesmo de falta de amor próprio. Muitas apesar de se intitularem mulheres modernas, no fundo o que todas querem mesmo é um parceiro fixo que lhe dê carinho, conforto e respeito. Cumplicidade. Essa é a palavra. Mas isso parece que está cada vez mais difícil de se achar. E não falo apenas por nós mulheres não. Falo também olhando pela ótica masculina pois converso muito com diversos homens e observo que eles também trazem suas inseguranças, neuras e solidão. Muita solidão. E cada um de seu lado, curtindo essa solidão quando no fundo, todos querem, anseiam, necessitam de um companheiro(a). O ser humano é muito complicado mesmo!
Mas não vim aqui apenas para choramingar minha solidão. Vim principalmente para desejar que todos continuem sua busca pela felicidade à dois afinal, o ser humano não veio ao mundo para viver só. Ainda dá tempo cambada! Vamos à luta! E um feliz Dia dos Namorados para todos!

Um comentário:

Pedrita disse...

eu passei uns anos me incomodando com essa data, mas recentemente não tenho nem prestado muito a atenção. beijos, pedrita